Frontline News
More Breaking News
BlogsCiênciaConhecimento EspiritualEsportes e entretenimentoMedicinaNotícias JurídicasNotícias do MundoNotícias dos EUAOpiniãoPolíticaResistência da oposição

Salvar as crianças ou salvar o programa de vacinas?

Jan 27, 2022

|

00:25 AM

O que a Equipe de Gerenciamento de Epidemias de Israel tinha em mente quando votou pela aprovação da vacina contra a COVID-19 para crianças de 5-11 anos de idade?

Salvar as crianças ou salvar o programa de vacinas?

Postado por Caryn Lipson

 

Resumo:

Tal Brosh, Coordenador da Equipe de Gestão da Epidemia de Israel, que votou para recomendar vacinas contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos de idade, sabia, antes da reunião do comitê de 10 de novembro, e da votação, que a vacina não iria deter a propagação do vírus. Ele também sabia, mesmo antes de a vacina ser lançada no ano passado, que ela carregava riscos potencialmente graves desconhecidos a longo prazo, que não seriam evidentes por pelo menos dois anos depois de estar em uso. Naquela época, porém, ele considerou mais importante correr o risco com a vida das pessoas do que viver com o Covid-19 (que não é uma doença grave para a maioria das pessoas) por mais dois anos.

Brosh estimou, antes da reunião, que o comitê votaria de forma afirmativa, em concordância com o FDA, CDC, Ministério da Saúde de Israel e Associação Pediátrica de Israel, que estavam todos predispostos a vacinar crianças de 5-11 anos. Considerando o que Brosh sabia sobre os potenciais efeitos adversos da vacina a longo prazo, os sérios problemas com a autorização da FDA, o fato de que a vacina não impede a transmissão ou a infecção (e nunca se esperava que isso acontecesse desde o início), e vem com sérios efeitos adversos documentados, incluindo a morte, é preciso perguntar por que o comitê votou a favor da vacinação de crianças de 5-11 anos de idade, ou de qualquer outra pessoa. O verdadeiro propósito do voto afirmativo foi salvar o programa de vacinação e não as crianças?

Quando Tal Brosh, Coordenador da Equipe de Gestão de Epidemia de Israel e Chefe da Unidade de Doenças Infecciosas do Hospital Universitário Assuta Ashdod, foi entrevistado pelo jornal Israel Hayom, como noticiado pelo Israel National News (INN), em 10 de novembro de 2021[1], poucas horas antes de a equipe se reunir para votar na vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a COVID-19, ele já sabia que as vacinas não eram nem seguras nem eficazes. Durante a entrevista, ele admitiu: 

“A vacinação de crianças não eliminará a pandemia em Israel, e, ao final e ao cabo, haverá repetidas ondas de infecção, e todos serão expostos, mais cedo ou mais tarde, ao vírus".

Quando Brosh falou com o Jerusalem Post, em novembro de 2020, um mês antes de a vacina Pfizer BioNTech162b2 ser lançada para adultos em Israel[2], sobre os perigos a longo prazo da vacina, ele explicou que:

  • "... [E]stas são vacinas completamente novas e revolucionárias... não saberemos nada sobre seus efeitos a longo prazo".
  • "Há uma corrida para vacinar o público, então estamos dispostos a assumir mais riscos..."
  • "... existem riscos únicos e desconhecidos para as vacinas de RNA mensageiro, incluindo respostas inflamatórias locais e sistêmicas que poderiam levar a condições auto-imunes".
  • "Teremos um perfil de segurança por apenas um certo número de meses, portanto, se houver um efeito a longo prazo após dois anos, não podemos saber", acrescentando que poderíamos esperar dois anos para descobri-los, "mas então teríamos o coronavírus por mais dois anos".

O artigo do Jerusalem Post também se referia a"[u]m artigo publicado pelo Centro Nacional de Informação Biotecnológica, uma divisão dos Institutos Nacionais de Saúde, [que] disse que outros riscos incluem a bio-distribuição e persistência da expressão imunogênica induzida; possível desenvolvimento de anticorpos auto-reativos; e efeitos tóxicos de quaisquer componentes nucleotídeos não nativos e do sistema de distribuição".

Isto significa que as agências governamentais americanas que ajudaram a desenvolver a vacina Moderna[3][4] e promoveram as vacinas contra a Covid-19, sabiam desde o início que elas eram perigosas.

Já faz mais de um ano que as vacinas foram lançadas, mas ainda estamos vivendo com a COVID-19. É evidente que as vacinas contra a  COVID-19 não interrompem a transmissão.

Os indivíduos vacinados podem ser infectados e espalhar doenças.

  1. Em relação à Variante Delta, a diretora do CDC, Rachel Wolensky, disse no início de outubro de 2021, que a vacina não para mais a transmissão [5].
  2. Um documento do Centro de Estudos Populacionais e de Desenvolvimento de Harvard intitulado "O aumento da COVID-19 não está relacionado ao nível de vacinação em 68 países e 2.497 distritos nos Estados Unidos"[6] mostrou que os países com taxas de vacinação mais altas tinham mais casos de COVID-19 por milhão de pessoas. Israel, com mais de 60% da população vacinada, teve os maiores casos de COVID-19 por 1 milhão de pessoas nos últimos 7 dias". O documento tinha uma constatação semelhante para os distritos dos EUA, onde a vacinação mais alta não equivalia a menos casos.
  3. Um estudo do CDC[7] sobre um surto no condado de Barnstable, Massachusetts, revelou que 74% dos infectados estavam totalmente vacinados contra a Covid-19 e que os vacinados tinham em média mais vírus no nariz do que os não vacinados que estavam infectados.
  4. Um estudo da Universidade de Tel-Aviv[8] sobre um surto de SARS-CoV-2 entre 42 pacientes em um ambiente hospitalar, descobriu que "39 foram totalmente vacinados", o "caso índice foi ... totalmente vacinado", "toda transmissão entre pacientes e funcionários ocorreu entre indivíduos mascarados e vacinados", e que este "surto exemplifica a alta transmissibilidade da variante Delta da SRA-CoV-2 entre indivíduos duas vezes vacinados e mascarados".
  5. A Dra. Sharon Elroy-Preis, Chefe dos Serviços de Saúde Pública do Ministério da Saúde, disse em uma entrevista em 1º de agosto de 2021 que 50% dos casos confirmados estavam em indivíduos vacinados e que a maioria infectava outros membros da família[9],[10].
  6. No período anterior ao reforço, Israel viu uma alta taxa de doença e morte entre os indivíduos vacinados, como explicou este funcionário do Ministério da Saúde:

Verificou-se que indivíduos sintomáticos vacinados têm cargas virais elevadas, assim como os indivíduos sintomáticos não vacinados. Esta informação vem de um estudo do CDC e do Departamento de Saúde do Estado divulgado em 9 de setembro de 2021, que enfatiza os perigos de negar direitos com base em um procedimento médico. O estudo, intitulado "Espalhamento de SARS-CoV-2 Infeccioso Apesar da Vacinação" [11], analisou amostras de cotonete de 36 condados no Wisconsin, do final de junho até o final de julho de 2021. Eles então verificaram a carga viral do SARS-CoV-2 em cada cotonete. Eles encontraram alta carga viral em "158 de 232 indivíduos não vacinados (68%...) e 156 de 225 indivíduos totalmente vacinados (69%...) sintomáticos". O que significa que efetivamente não havia diferença entre os indivíduos sintomáticos vacinados e não vacinados em termos de quem carregava e, portanto, espalhava o vírus. Mas o estudo não termina aí. Ele também encontrou altas cargas virais em "7 de 24 indivíduos não vacinados (29%...) e 9 de 11 indivíduos assintomáticos totalmente vacinados (82%...)". Ou seja, entre os indivíduos assintomáticos, os vacinados tinham uma porcentagem maior com uma elevada carga viral. ... isto reflete que os não vacinados que pegam o vírus têm mais probabilidade de estar em casa na cama com sintomas, enquanto os vacinados que pegam o vírus têm mais probabilidade de não ter sintomas e, portanto, continuar sua rotina diária espalhando o vírus inconscientemente.

Estamos agora à frente da variante Omicron, que foi encontrada em indivíduos vacinados, provando que a vacina também não funciona contra esta variante mais recente [12].

No entanto, não deve ser surpresa que as vacinas contra a Covid-19 não interrompam a transmissão. Nunca se esperava que interrompessem a transmissão, mesmo quando foram lançadas pela primeira vez contra o vírus inicial.

  • No início de dezembro de 2020, pouco antes de a vacina da Pfizer receber a Autorização de Uso Emergencial, o CEO da Pfizer, Albert Bourla, disse a respeito da capacidade da vacina de interromper a transmissão: "... Não estamos certos sobre isso agora com o que sabemos” [13].
  • Tal Zaks, CEO da Moderna disse: "Nosso teste não demonstrará prevenção de transmissão," ... "porque para fazer isso você tem que testar pessoas duas vezes por semana por períodos muito longos, e isso se torna operacionalmente insustentável"[14].
  • A cientista chefe da OMS, Soumya Swaminathan, disse: "Não acredito que tenhamos evidências de nenhuma das vacinas para estarmos confiantes de que vai impedir as pessoas de realmente contrair a infecção e, portanto, poder transmiti-la"[15].

De acordo com a avaliação de Brosh, ainda temos pelo menos um ano antes de começar a descobrir quais serão os efeitos reais a longo prazo, mas já houve muitos efeitos adversos sérios a curto prazo relatados. O US VAERS (sistema de notificação de eventos adversos de vacina)[16] mostra o seguinte (a partir de 26 de novembro de 2021):

  • 927.738 (52%) dos 1.782.451 RELATÓRIOS DE EVENTOS ADVERSOS DE VACINA NO VAERS são Relatórios de Eventos Adversos de Vacina contra COVID
  • 19.532 (68%) do total de 28.689 mortes relatadas desde seu início são mortes relacionadas às vacinas contra Covid.
  • 99.943 (55%) do total de 181.030 hospitalizações declaradas são hospitalizações relacionadas às vacinas contra COVID.

A Agência Europeia de Medicamentos, o Esquema de Cartão Amarelo do Reino Unido e o Vigiaccess da OMS também mostram lesões e mortes crescentes[17]. Israel não tem um sistema transparente de notificação de eventos adversos; os dados de comprometimento e mortes por vacinas contra a Covid-19 israelenses foram capturados em sites como Testemunhos Vax, Nakim e Evidência de Pessoas Comprometidas pela Vacina Corona, e por organizações como o "Comitê Popular Israelense" do Dr. Pinky Feinstein.

Hoje, Tal Brosh não aborda mais a questão dos eventos adversos que ele revelou antes que as vacinas fossem implantadas, nem aborda os graves eventos adversos da vacina a curto prazo. Em fevereiro de 2021, Brosh até chamou os "céticos" da vacina, incluindo rabinos e médicos que advertiam contra a vacina, de espalhadores de notícias falsas[18].

Dados de segurança da vacina Covid-19 - um quadro preocupante

Mesmo antes da reunião, Brosh estimou que o comitê votaria pela vacinação, citando as recomendações do FDA e do CDC e a postura positiva do Ministério da Saúde e da Associação Pediátrica de Israel. Isto suscita as perguntas:

O Ministério da Saúde, a Associação Pediátrica de Israel, ou qualquer um dos membros da equipe de tratamento da epidemia, incluindo Brosh,

  1. estudou os próprios dados de Israel?
    1. O neurocientista computacional israelense Matan Holzer, apenas dois dias antes da votação, "divulgou uma análise e demonstração do sistema de relatórios e dados de segurança da vacina contra a COVID-19 do Ministério da Saúde de Israel, concluindo que "seus dados não valem nada", e "sua coleta de dados de eventos adversos é fachada, resultando evidentemente em uma enorme subnotificação". O FDA americano confia nos dados israelenses para sua tomada de decisão.
    2. Um grupo independente sem fins lucrativos, a "Frente de Ética Profissional”, formada por advogados, pesquisadores, cientistas e médicos israelenses, enviou um relatório ao FDA antes da reunião do seu Comitê Consultivo de 26 de outubro de 2021, citando profundas preocupações com a "integridade, qualidade, confiabilidade e legalidade de todos os dados israelenses associados à vacinação COVID-19 que estão sendo utilizados com relação à segurança e eficácia da "vacina" da Pfizer”[19]?
    3. soube que a Pfizer violou seu próprio protocolo a fim de obter autorização de uso emergencial da FDA para sua vacina para crianças de 12-15 anos de idade?
    4. conhecia o NNTV, o número de crianças que precisam ser vacinadas para evitar que uma criança morra de Covid-19? O NNTV, um dos 21 itens necessários que devem ser incluídos nos estudos de saúde pelo CDC, estava faltando na análise de risco-benefício do FDA. Os próprios cálculos de Toby Rogers mostram que seria necessário vacinar 117 crianças para evitar que uma criança morra de Covid-19 [20].
    5. sabia que a Pfizer não validou a eficácia da vacina para este grupo etário a partir dos dados reais do estudo? A Pfizer usou um processo chamado 'imunobridging'[21],[22] para inferir a eficácia da vacina nesta faixa etária com base nos dados usados para autorizar a vacina para crianças mais velhas e, para os dois processos de imunobridging que eles fizeram, a Pfizer obteve dados de pequenos subconjuntos de crianças - 485 (21,56%) dos 2250 participantes do estudo para o primeiro processo (para o qual utilizaram um ensaio validado) e 38 (1,69%) dos 2250 participantes do estudo para o segundo processo, para a variante Delta (momento em que utilizaram um ensaio não validado para imunobridging)[23].
    6. sabia que a formulação da vacina testada em crianças nos ensaios clínicos não é a mesma formulação que o FDA aprovou para uso nos EUA para a vacina contra a Covid-19 infantil?[24] [25] O FDA não exigiu que utilizassem então a nova formulação nos ensaios clínicos porque, como explicado por um executivo da Pfizer na reunião do Comitê Consultivo[26] [27],  o mRNA e a nanopartícula lipídica são iguais, de modo que a reatogenicidade (efeitos adversos) e a eficácia são esperadas, mas não verificadas, que sejam as mesmas.

    Além disso, um artigo publicado on-line em setembro de 2021,[28] analisou dados tanto para a doença quanto para as vacinas, uma vez que elas se referiam às vacinas contra a Covid-19 para crianças. Suas pesquisas (seção 3.2) revelaram o seguinte (ênfase adicionada):

    ... os ensaios clínicos não abordaram os efeitos a longo prazo que, se graves, seriam suportados por crianças/adolescentes durante décadas potenciais. 

    Uma nova análise de custo-benefício do melhor cenário mostrou, de forma muito conservadora, que há cinco vezes o número de mortes atribuíveis a cada inoculação em relação àquelas atribuíveis à COVID-19 nos indivíduos 65+ da população mais vulnerável. O risco de morte por COVID-19 diminui drasticamente à medida que a idade diminui, e os efeitos a longo prazo das inoculações nas faixas etárias mais baixas aumentarão sua relação risco-benefício, talvez substancialmente. Para as crianças, as chances de morte da COVID-19 são insignificantes, mas as chances de danos graves durante a vida das inoculações tóxicas não são desprezíveis.

    Brosh é confiável?

    Yisrael Hayom, como informou a INN, perguntou a Brosh: 

    "O que você pode dizer aos pais que leram um artigo de um médico que disse que o coronavírus não é uma doença grave em crianças, e que a vacina não impede o PIMS [29] após contaminação pelo vírus?" (PIMs, também conhecido como MIS-C, é uma síndrome inflamatória multi-sistema associada à infecção por Covid-19 em crianças).

    Brosh respondeu: 

    "O artigo está bem escrito, mas ele faz afirmações absolutas que são muito imprecisas", ... "Esta é uma análise incorreta dos dados".

    O próprio Brosh parece estar fazendo afirmações absolutas que são muito imprecisas. Ele nunca explicou por que ele estava errada ou o que seria uma análise correta dos dados e por que. Como a INN não fez o link nem à entrevista de Yisrael Hayom, nem ao artigo em questão, nem revelou a identidade do médico que fez as declarações, não temos como verificar o que o outro médico escreveu, se Brosh é preciso em sua avaliação, ou se Yisrael Hayom estava de fato se referindo a um artigo específico. (Como a AFLDS já demonstrou anteriormente, as alegações individuais de que o outro lado está errado nem sempre são apoiadas por suas próprias referências de prova).

    E a pergunta real a respeito da afirmação do médico "misterioso" de que a Covid-19 não é uma doença grave em crianças e que a vacina não pode impedir o PIMS após o coronavírus?

    Como foi mostrado acima, a taxa de sobrevivência para crianças de 0 a 19 anos que contraem Covid-19 é de quase 100%. O risco também não mudou para as crianças, desde que a variante Delta apareceu. De acordo com Betsy Herold[30], médica pediátrica de doenças infecciosas no Albert Einstein College of Medicine

    "... menos de 2% das crianças que se sabe estarem infectadas pelo coronavírus são hospitalizadas, e menos de 0,03% das crianças infectadas morrem".

    Brosh afirma que

    "... os dados de Israel, que são semelhantes aos dados dos EUA, mostram que a frequência do PIMS é de 1 em 3.000 crianças infectadas, e a chance de hospitalização com complicações do coronavírus é de 1 em 1.000".

    O PIMS/MIS-C não é apenas um efeito adverso da Covid-19, é um efeito adverso esperado da vacina, incluído na minuta da lista de eventos adversos a serem observados pelo FDA, que foi apresentada em uma reunião do FDA em 22 de outubro de 2020. (Veja imagem abaixo.)[31] Isto significa que inocular as crianças de Israel contra a Covid-19 colocará 100% das crianças em risco de PIMS, não apenas as poucas que podem sofrer com ela como resultado de uma infecção por Covid-19. Mesmo sem ver os dados utilizados pelo médico anônimo, não parece que ele estava errado em sua análise, como Brosh afirma que estava.

    O Passaporte Vacinal não é sobre saúde.

    A questão do Passaporte Vacinal também foi levantada na entrevista. Brosh disse que ele será usado para "convencer" os israelenses a se vacinarem. Isto está de acordo com uma recente conversa de microfone ligado entre o Ministro da Saúde israelense Nitzan Horowitz e o Ministro do Interior Ayelet Shaked, que revelou que o governo está usando o passaporte vacinal como uma ferramenta de coerção, uma vez que não há provas epidemiológicas para muitas das áreas onde eles o exigem [32].

    O programa de vacinas é mais importante do que a nossa saúde e a de nossas crianças e o futuro? 

    No final do dia 10 de novembro, a Equipe de Gestão da Epidemia votou pela aprovação das vacinas contra a Covid-19 para crianças de 5-11 anos[33]. De acordo com o presidente da equipe, Dr. Boaz Lev, dos 75 membros do painel, 73 disseram que as vacinas eram seguras e eficazes e a equipe votou 68 a 6 a favor da vacinação de crianças de 5-11 anos[34].

    A equipe de Brosh e o governo israelense estavam dispostos e ainda estão dispostos a colocar os cidadãos, incluindo crianças cada vez mais jovens, em risco de efeitos adversos, não tão triviais a curto prazo e desconhecidos a longo prazo, de uma nova vacina. No ano passado, foi pelo suposto benefício de não ter que viver mais dois anos com um vírus que o CDC sabia que, em setembro de 2020, tinha taxas de sobrevivência de 99,997% para as idades de 0-19 anos, 99,8% para os de 20-49 anos, 99,5% para os de 50-69 anos e 94,6% para os de 70 e mais [35]. Qual poderia ser a razão para continuar com ela agora?

    Quem ou o que  Brosh e a Equipe de Gestão de Epidemias (e o governo) realmente protegem?

     


Footnotes

[1]:

Arutz Sheva Staff. 'There'll Be A Rush To Vaccinate Children". Israel National News, 2021, https://web.archive.org/web/20211110105242/https://www.israelnationalnews.com/News/News.aspx/316645

[2]:

“Could Mrna COVID-19 Vaccines Be Dangerous In The Long-Term?". The Jerusalem Post | Jpost.Com , 2021, https://www.jpost.com/health-science/could-an-mrna-vaccine-be-dangerous-in-the-long-term-649253

[3]:

"Moderna, NIAID Partner On Planned Trial Of Coronavirus Mrna Vaccine". GEN - Genetic Engineering And Biotechnology News, 2020, https://www.genengnews.com/news/moderna-niaid-partner-on-planned-trial-of-Coronavirus-mrna-vaccine/

[4]:

“Fauci/NIAID Signed Private And Confidential Vaccine Agreement Weeks Before We Even Knew About The Pandemic:". Rights And Freedoms, 2021, https://rightsfreedoms.wordpress.com/2021/12/13/fauci-niaid-signed-private-and-confidential-vaccine-agreement-weeks-before-we-even-knew-about-the-pandemic/

[5]:

Pappert, Tom. "CDC Director Rochelle Walensky Admitted COVID-19 Vaccines Cannot 'Prevent Transmission'". National File, 2021, https://nationalfile.com/cdc-director-rochelle-walensky-admitted-covid-19-vaccines-cannot-prevent-transmission/

[6]:

Subramanian, S. V., and Kumar, Akhil. "Increase in COVID-19 are unrelated to level of vaccination across 68 countries and 2,497 counties in the United States”. European Journal of Epidemiology, 2021, https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8481107/pdf/10654_2021_Article_808.pdf

[7]:

Brown, Catherine M. et al. "Outbreak Of SARS-Cov-2 Infections, Including COVID-19 Vaccine Breakthrough Infections, Associated with Large Public Gatherings — Barnstable County, Massachusetts, July 2021". MMWR. Morbidity And Mortality Weekly Report, vol 70, no. 31, 2021, pp. 1059-1062. Centers For Disease Control MMWR Office, doi:10.15585/mmwr.mm7031e2

[8]:

Shitrit, Pnina et al. "Nosocomial Outbreak Caused By The SARS-Cov-2 Delta Variant In A Highly Vaccinated Population, Israel, July 2021". Eurosurveillance, vol 26, no. 39, 2021. European Centre for Disease Control And Prevention (ECDC), doi:10.2807/1560-7917.es.2021.26.39.2100822

[9]:

"Transcript: Dr. Sharon Alroy-Preis On "Face The Nation," August 1, 2021". Cbsnews.Com, 2021, https://www.cbsnews.com/news/transcript-dr-sharon-alroy-preis-on-face-the-nation-august-1-2021/

[10]:

O fato de que mais pessoas são infectadas em residências deveria ter sido esperado por alguém como Elroy-Preis, que trabalha na saúde pública. Em maio de 2020, o governador Cuomo de Nova York (surpreendente para ele) descobriu que a maioria das hospitalizações para o Covid-19 estavam entre os indivíduos que ficaram em casa. (Baldwin, Sarah Lynch. "Cuomo: Dados mostram que a maioria dos novos pacientes da COVID-19 em Nova York estão em casa e não trabalham". Cbsnews.com, 2020, https://www.cbsnews.com/news/cuomo-coronavirus-patients-new-york-at-home-not-working/.  Um estudo realizado em 1998 sobre um surto de sarampo na Finlândia mostrou que os membros da família que estavam próximos em casa eram muito propensos a infectar outros, mesmo aqueles vacinados. O caso do índice neste estudo foi um super propagador que infectou 22 outros estudantes, presumivelmente durante uma assembleia de escola secundária que ocorreu em aposentos fechados sem ventilação adequada ou luz solar. Eles descobriram então que "... quando os irmãos compartilhavam um quarto com um caso de sarampo, um risco de 78% (sete em cada nove crianças) foi observado entre os vacinados. Os vacinados tinham um tempo de incubação aproximadamente 2 dias mais curto do que os não vacinados. Os estudantes vacinados e não vacinados eram igualmente capazes de infectar seus irmãos..." (Paunio, M. et al. "Explosive School-Based Measles Outbreak: Intense Exposure May Have Resulted in High Risk, Even Among Revaccinees". American Journal of Epidemiology, vol 148, no. 11, 1998, pp. 1103-1110. Oxford University Press (OUP), doi:10.1093/oxfordjournals.aje.a009588). Ela também deve estar ciente de que nas últimas décadas houve muitos surtos entre populações altamente vacinadas, como é mostrado aqui e aqui.

[11]:

Riemersma, Kasen K. DVM, PhD, et al.,“Shedding of Infectious SARS-CoV-2 Despite Vaccination”, Medrx preprint,  August 2021, https://doi.org/10.1101/2021.07.31.21261387

[12]:

Watson, Paul Joseph. "COVID Omicron Variant First Detected in Four People Who Were Fully Vaccinated -  (Your)NEWS". (Your}NEWS, 2021, https://yournews.com/2021/11/26/2258188/covid-omicron-variant-first-detected-in-four-people-who-were/

[13]:

“'Not certain': Pfizer CEO on whether COVID vaccine stops transmission”, BusinessToday.IN, Dec., 2021, https://www.businesstoday.in/latest/trends/story/not-certain-pfizer-ceo-on-if-their-covid-vaccine-stops-transmission-280643-2020-12-05

[14]:

Doshi, Peter. “Will covid-19 vaccines save lives? Current trials aren’t designed to tell us”, BMJ 2020:371, https://doi.org/10.1136/bmj.m4037

[15]:

Smith, Jack, “WHO Chief Believes COVID Vaccine Doesn’t Prevent Infections and Spread of Virus”, Medium.com, Dec. 2020, https://medium.com/molyneuxpost/who-chief-believes-covid-vaccine-doesnt-prevent-infections-and-spread-of-virus-3383e7dd76c9

[16]:

Openvaers, 2021, http://www.openvaers.com

[17]:

O Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas dos EUA  (VAERS) foi implantado em 1990. É um sistema voluntário de notificação que foi estimado em contabilizar apenas 1% (ver o Lazarus Report) dos problemas causados por vacinas.

Todos os fabricantes de vacinas Covid-19 receberam imunidade de responsabilidade contra qualquer dano ou morte que possa ser causado por suas vacinas nos EUA. Nos EUA, isto foi feito pela lei PREP Act.

Na Europa, como resultado das inúmeras lesões sofridas, e como os fabricantes não arcam com nenhuma responsabilidade, em 23 de setembro de 2021, foi apresentada uma Proposta de resolução do Parlamento Europeu  para a criação de um fundo europeu de indenização para as vítimas das “vacinas COVID-19”.

A moção cita as seguintes estatísticas da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) que já registrou cerca de um milhão de casos de pessoas que sofreram reações adversas com as vacinas contra COVID-19:

435,779 devido à vacina Pfizer BioNTech,
373,285 devido à vacina AstraZeneca,
117,243 devido à vacina Moderna,
27,694 devido à vacina Janssen;

Essas reações adversas às vezes são graves; cerca de 75 000 pessoas sofreram efeitos neurológicos graves como resultado da tomada da vacina Pfizer e cerca de 5 000 pessoas morreram na UE como resultado da tomada da vacina COVID-19:

4,198 devido à vacina Pfizer,
1,053 devido à vacina AstraZeneca,
392 devido à vacina Moderna,
138 devido à vacina Janssen.

A documentação dos eventos adversos relatados no Reino Unido pode ser encontrada aqui e as informações sobre eventos adversos da OMS podem ser encontradas em Vigiaccess - busca por "vacina covid-19"

[18]:

Arutz Sheva Staff "Dr. Tal Brosh: People Die Every Day Because Of Fake News". Israel National News, 2021, https://www.israelnationalnews.com/News/News.aspx/296922

[19]:

.

  • reviu a análise do FDA da Pfizer dos EUA (autorização de uso emergencial para a vacina contra a Covid-19) para a vacina contra a Covid-19 em crianças de 5-11 anos? Toby Rogers, cujo foco de pesquisa é a corrupção na indústria farmacêutica, chamou a análise do FDA de um dos documentos mais desonestos que ele já tinha visto. Sabia que um consultor do FDA, Dr. Eric Rubin da Universidade de Harvard disse, em relação à injeção de crianças de 5-11 anos de idade: "... nunca vamos aprender o quanto esta vacina é segura a menos que comecemos a administrá-la"[fn]"FDA Panel Backs Pfizer's Low-Dose COVID-19 Vaccine For Kids". PBS Newshour, 2021, https://www.pbs.org/newshour/health/fda-panel-backs-pfizers-low-dose-covid-19-vaccine-for-kids

  • [20]:

    Rogers, Toby. “What Is the Number Needed to Vaccinate (NNTV) To Prevent a Single COVID-19 Fatality In Kids 5 To 11 Based On The Pfizer EUA Application? ". Tobyrogers.Substack.Com, 2021, https://tobyrogers.substack.com/p/what-is-the-number-needed-to-vaccinate

    [21]:

    Cdn.Who.Int, 2021, https://cdn.who.int/media/docs/default-source/blue-print/doran-fink_4_immunobridging_vrconsultation_6.12.2021.pdf?sfvrsn=fd04428e_7

    [22]:

    “Licensure And Emergency Use Authorization of Vaccines to Prevent Covid-19: Clinical Considerations, Vaccines and Related Biological Products Advisory Committee (10/22/2020)” Fda.Gov, 2021, https://www.fda.gov/media/143352/download, pg. 9

    [23]:

    Ibid. p 10

    [24]:

    “Vaccines and Related Biological Products Advisory Committee October 26, 2021 Meeting Document”. Fda.Gov, 2021, https://www.fda.gov/media/153409/download, pg.12 section 1.2

    [25]:

    FDA. “Vaccines and Related Biological Products Advisory Committee – 10/26/2021”, Youtube.Com, 2021, https://www.youtube.com/watch?v=laaL0_xKmmA&t=10524s

    [26]:

    “Vaccines and Related Biological Products Advisory Committee October 26, 2021 Meeting Document”. Fda.Gov, 2021, https://www.fda.gov/media/153409/download, pg.12 section 1.2

    [27]:

    Vaccines and Related Biological Products Advisory Committee – 10/26/2021, https://www.youtube.com/watch?v=laaL0_xKmmA&t=10524s

    [28]:

    Kostoff, Ronald N., et al, ”Why are we vaccinating children against COVID-19?”, Ncbi.Nlm.Nih.Gov, 2021, https://www.ncbi.nlm.nih.gov/labs/pmc/articles/PMC8437699/pdf/main.pdf

    [29]:

    Sick-Samuels, Anna, M.D., M.P.H. "MIS-C And COVID-19: Rare Inflammatory Syndrome In Kids And Teens". Hopkinsmedicine. Org, 2021, https://www.hopkinsmedicine.org/health/conditions-and-diseases/coronavirus/misc-and-covid19-rare-inflammatory-syndrome-in-kids-and-teens

    [30]:

    Lopez, German, "How The Risk Of Covid-19 For Kids Compares To Other Dangers". Vox, 2021, https://www.vox.com/22699019/covid-19-children-kids-risk-hospitalization-death

    [31]:

    “Vaccines and Related Biological Products Advisory Committee. October 22, 2020 Meeting Presentation”.  Fda.Gov, 2021, https://www.fda.gov/media/143557/download

    [32]:

    Hadfield, Jack,"ISRAEL: Ministers Caught On Hot Mic Admitting Vaccine Passport Not "Epidemiologically" Justified - National File". National File, 2021, https://nationalfile.com/israel-ministers-caught-on-hot-mic-admitting-vaccine-passport-not-epidemiologically-justified

    [33]:

    "Health Ministry Recommends Vaccinating 5-11-Year-Olds". Israel National News, 2021, https://www.israelnationalnews.com/News/News.aspx/316693

    [34]:

    "Israeli Health Panel Approves Pfizer's COVID Vaccines For Children Aged 5-11". Ynetnews, 2021, https://www.ynetnews.com/health_science/article/s1aaodkdf

    [35]:

    Mora, Edwin. "CDC Data Shows Coronavirus Survival Rate: 99%-Plus for Ages 69 and Younger, 94.6% For Older". Breitbart, 2020, https://www.breitbart.com/politics/2020/09/25/cdc-data-shows-high-virus-survival-rate-99-plus-for-ages-69-and-younger-94-6-for-older/

    Latest Articles

    As crianças escolarizadas em casa são melhores do que as crianças escolarizadas pelo governo em ... tudo

    As crianças escolarizadas em casa são melhores do que as crianças escolarizadas pelo governo em ... tudo

    May 16, 2022

    Casa Branca ameaça 100 milhões de casos de COVID se não receber financiamento

    Casa Branca ameaça 100 milhões de casos de COVID se não receber financiamento

    May 16, 2022

    Surto súbito de carrapatos é uma benção para a Agenda 2030 do Fórum Econômico Mundial

    Surto súbito de carrapatos é uma benção para a Agenda 2030 do Fórum Econômico Mundial

    May 14, 2022

    Americas Frontline Doctors
    America's Frontline Doctors Logo

    Support the cause

    Donations raised will support our efforts to educate the American public and political leaders.

    Join Us
    Privacy Policy